Conceito entre app e site e futuro da tecnologia PWA

* Por Jéssica Camargo

Nos últimos anos houve um crescimento significativo no número de usuários mobile. As razões para tal, incluem a portabilidade, fácil acesso à internet e baixo custo de hardware. Logo, a otimização da experiência do usuário tornou-se essencial, e com esse objetivo surgiu o PWA.

Progressive Web Apps (PWA) é uma metodologia de desenvolvimento de aplicações web que torna a experiência do usuário de páginas web semelhante a de aplicativos mobile. O termo Progressivo possui essa atribuição, pois as informações são carregadas a medida que o usuário navega. Já Web é assim chamada, pois as aplicações são escritas em linguagem web, HTML, CSS e Javascript, diferente dos apps nativos, pois estes utilizam Swift/Object-C (IoS) e Java/Kotlin (Android).

Antes da chegada do PWA, diversas funções do dispositivo só eram acessadas através de apps, como o push notifications, geolocalização e o ícone na home screen. Com a aplicação do recurso de responsividade, ou seja, a adaptação em diversos tamanhos de tela, essa experiência não se restringe somente ao uso mobile, como também é possível a utilização em desktops.

Em relação à conectividade, o uso do PWA pode ser feito até mesmo sem acesso à internet. Isso acontece devido à tecnologia Service Worker, um script que o navegador executa em segundo plano e que oferece um sistema de armazenamento em cache. Quanto à segurança, há confiabilidade, pois todo o acesso possui certificado de segurança (HTTPS), visando garantir a transferência segura de dados.

Uma das vantagens do PWA está no seu desenvolvimento, podendo ser uma alternativa mais econômica se comparado com o desenvolvimento de apps – devido à simplicidade de sua arquitetura. Além disso, a retenção de usuários é maior, pois há menos passos para acessar a aplicação. É preciso somente abrir a URL do navegador, eliminando assim a necessidade de buscar na loja de aplicativos para fazer seu download. Afinal, você já se perguntou quantas vezes baixou um app e usou apenas uma vez ou simplesmente comprou pelo site de uma loja, mesmo existindo seu app disponível? Uma outra vantagem do PWA é que ele nunca fica desatualizado: sempre que o usuário abrir o aplicativo progressivo e houver conexão com a internet, o Service Worker inicia o processo de atualização para garantir a versão mais recente.

Em contrapartida, existem também desvantagens. Ele ainda não oferece algumas funcionalidades como acesso a lista de contatos, comunicação NFC e apresenta algumas restrições em aparelhos iOS. Mesmo assim, grandes empresas fazem uso dessa tecnologia. Algumas delas são Starbucks, Aliexpress, Tinder, Pinterest e Forbes.

É possível transformar facilmente um site em um PWA, apenas adicionando alguns arquivos de configuração, para que o navegador entenda que é um Aplicativo Web Progressivo. Além disso, é fundamental cumprir o checklist que a Google criou para ajudar equipes a criar melhores experiências para o usuário na utilização do PWA.

Apesar dessa evolução híbrida entre site e app trazer praticidade, não sabemos o que o futuro reserva para essa tecnologia. É incerto se ela tomará o lugar das páginas web ou até mesmo dos aplicativos. Sabemos que é uma área em constante evolução e, enquanto isso, cabe a melhor escolha de acordo com as necessidades da aplicação.

*Jéssica Camargo é Desenvolvedora Mobile da ART IT, especializada em soluções e serviços de TI.

56

Related Posts

Leave a comment